as borboletas (no estômago)

agosto 16, 2013

Preferi não criar expectativas e apenas esperar pelo momento, para se possível ser surpreendida. Bem, e posso dizer que foi uma das melhores surpresas que já tive, foi incrível, coabitaram em mim borboletas no estômago e as minhas pernas apesar de lhes ter dado ordens contrarias não hesitaram em tremer mal te vi. O teu sorriso já era notório à distancia, mas quando ficaste bem perto pode notar que havia alguma coisa especial. Naquela noite fui a garota mais envergonhada no sitio onde estávamos, mas depois passou, fiquei completamente à vontade com o passar do tempo. 
Podias roubar-me todo o tempo que quisesses, aliás eu queria que tivesses o poder de controlar, tenho a certeza que o paravas.
Estava uma noite de agosto quente, com estrelas no céu, já passava das duas da manhã e sentá-mo-nos naquele banco de jardim verde escuro, se bem te lembras, iluminados por um candeeiro de rua, rodeados de gente, algumas pessoas pouco ou nada sóbrias, mas tudo isso nos passou ao lado. Passou a voar o tempo que estive contigo, mas posso dizer que foi o melhor da noite, tens uma presença e simpatia notória. 
Obrigada por teres me feito sorrir, obrigada por me teres feito naquele tempo uma pessoa melhor e mais feliz.

vale mais meia dúzia horas da minha vida contigo, do que anos sem ti,
Maffalda Cunha


You Might Also Like

2 comentários

Popular Posts

Like us on Facebook

Flickr Images